Exaustores e Insufladores portáteis

NR-33 - Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

A fim de minimizar e, se possível, eliminar acidentes, o trabalho em áreas confinadas foi regulamentado através da norma NR-33.

A NR-33 (norma regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego) dispõe de algumas medidas técnicas de prevenção, administrativas e pessoais, e também especifica determinadas responsabilidades aos empregados e empregadores. 

Dentre estas e outras providências, a norma exige a adequada ventilação para segurança nestas operações.

A ventilação em espaços confinados reduz a concentração de substâncias tóxicas e/ou perigosas presentes na atmosfera do ambiente confinado. Isso está estabelecido no item 33.3.2 da norma o que, na prática, significa a obrigatoriedade da ventilação.

Os processos de ventilação durante operações em ambientes confinados podem ser de Insuflamento e Exaustão.

 Exaustor e Insuflador Portátil 

Insuflamento

  • Promover um número determinado de “trocas por hora” – usualmente entre 8 e 15 (ACGIH - Industrial Ventilation Manual, a manual of recommended practice).
  • Deve ser executada com uso simultâneo de monitores de gás.
  • Número de trocas pode ser determinado à priori, com a prática.
  • Deve-se de preferência utilizar exaustão e insuflamento simultâneos para que se estabeleça um fluxo de ar fresco.
  • Seleção do ventilador de acordo com as necessidades de vazão e pressão da aplicação.
  • Em serviços contínuos, recomenda-se efetuar medições de vazão periódicas para controle e registro.

Exaustão

  • Captar os poluentes o mais próximo possível das fontes de geração.
  • Muito utilizado no caso de soldagem.
  • Deve permitir posicionamento de um bocal a uma distância de, no máximo, 50cm do ponto de solda (varia de caso a caso)
  • Utiliza-se frequentemente um bocal com magneto para posicionamento adequado (restrito a materiais magnéticos).
  • Necessário uso de mangueiras flexíveis de grande comprimento e pequeno diâmetro (max. recomendável 150mm).
  • Vazão mínima recomendada por captor de 800m3/h.
  • Não recomendada para corte a chama ou goivagem.
  • Obs.: Quando a exaustão localizada não for possível ou aplicável, deve-se garantir a diluição dos poluentes através da ventilação geral (número de trocas).