Fumos metálicos em corte térmico de metais

Os fumos metálicos emitidos em operações de corte térmico de metais contaminam o ambiente, afetando a saúde do trabalhador, a produtividade e o funcionamento de equipamentos fabris

As operações de corte térmico de metais, tanto manuais como automatizadas, apresentam riscos ambientais derivados principalmente das radiações ultra-violetas do arco-elétrico e da intensa geração de fumos metálicos, gases tóxicos como óxidos de nitrogênio (NOx) e ozônio (O3), além de ruído e outros riscos de segurança genéricos.

Devido às altas energias envolvidas e à velocidade do corte, a geração de fumos metálicos é muito intensa podendo atingir taxas de emissão da ordem de 26g/min no corte de aço carbono e 40g/min no corte de aço inox.

Essas taxas, por si só, constituem um alarmante nível de poluição do local de trabalho  excedendo, na maioria dos casos, os limites de concentração de poluentes permitidos pela legislação brasileira (NR-15 Anexo 11).

Efeitos à saúde dos trabalhadores
 
As partículas que constituem os fumos metálicos são pequenas o suficiente para permanecerem em suspensão por um longo período. São facilmente inaladas e penetram profundamente nos pulmões, e com o tempo estas partículas podem atingir a corrente sanguínea.

Os fumos contém metais extremamente nocivos, como Cromo Hexavalente Cr(VI), reconhecido como substância cancerígena, Manganês e  Níquel. Estas substâncias têm limite de concentração permitido extremamente baixo devido ao risco que representam.

Organizações de higiene e segurança internacionais reconhecem a importância da  prevenção de riscos à saúde decorrentes da geração de fumos e gases tóxicos nos processos de corte térmico de metais.  No Brasil, as normas NR-9 (PPRA) e NR-15-Anexo 11 definem as medidas de  controle e os níveis máximos permitidos de poluente nos ambientes de trabalho.

Efeitos aos equipamentos fabris

Os fumos metálicos espalham-se rapidamente pelo ambiente e, devido sua baixíssima granulometria, penetram nos painéis elétricos dos equipamentos e impregnam as placas eletrônicas e componentes elétricos causando falhas de diversos modos.

No caso do laser, os fumos aumentam consideravelmente a necessidade de manutenção do conjunto ótico sendo a aspiração mandatória neste processo.
Um ambiente livre de altas concentrações de fumos representa uma significativa redução dos custos de manutenção.

Métodos de controle

Para o controle e redução dos níveis de emissão de poluentes é necessário que a mesa onde se apóie a chapa seja dotada de meios de absorção ou exaustão destes poluentes.

  • Os tipos mais utilizados no Brasil são:
    Mesas d’água (wet cutting): A água atua como um absorvente dos poluentes gerados e ajuda a reduzir os níveis de ruído do processo, e deve ser devidamente tratada antes de ser descartada.
  • Mesas aspiradas (downdraft tables): possibilitam a captação dos poluentes via sistema de exaustão e filtragem e descarga do ar limpo no ambiente.

Mesas aspiradas com sistemas de exaustão e filtragem são mais indicadas como método de controle por atenderem plenamente exigências trabalhistas e ambientais, além de não intereferirem na qualidade do corte e não afetarem a máquina e a mesa de corte com umidade.
O correto dimensionamento da mesa e do sistema de exaustão e filtragem é, neste caso, fator crítico para um bom funcionamento desta solução ao longo do tempo.

Sistema de exaustão e filtragem Nederman

A filtragem dos poluentes gerados no corte térmico não é trivial, assim a especificação do filtro deve ser realizada por empresa qualificada e com experiência específica neste tipo de aplicação.
Não raro, filtros mal dimensionados saturam-se em pouco tempo exigindo trocas constantes de elementos filtrantes e, em casos extremos, o abandono do sistema. A linha de filtros Nederman FMC200 é fabricada no Brasil, garantindo excelente prazo de entrega e custos reduzidos.

Mesas de corte aspiradas Koike Aronson

Mesas de corte aspiradas com exaustão e filtragem são as mais utilizadas em mercados tecnologicamente mais avançados onde já não se admite o uso de água como meio de absorção dos fumos metálicos.
As mesas são constituídas por uma estrutura de suporte da chapa a ser cortada e um sistema de compartimentos e dampers que possibilita a captação dos poluentes via sistema de exaustão e filtragem.
A parceria da Nederman com a Koike Aronson, conceituada fabricante japonesa de mesas aspiradas, permite oferecer solução completa com garantia e qualidade Nederman.

Vídeo "Fumos metálicos gerados em corte térmico de metais"