Reconhecendo e reduzindo os riscos de poeiras combustíveis na produção de alimentos e tabaco

Os materiais orgânicos, como o pó de açúcar, farinha, grãos, especiarias e madeira, podem ser tão combustíveis e explosivos como determinadas poeiras metálicas. Minimizar os riscos de explosão grave ou até fatal, requer uma conscientização tanto da gerência como dos operadores, além de existir equipamentos que podem captar adequadamente as poeiras e removê-las do processo produtivo.

O pó orgânico é comum na produção de alimentos e é facilmente inflamável

Praticamente qualquer tipo de poeira orgânica pode explodir caso o percentual de umidade da mesma seja suficientemente baixo.

Produtos de origem animal e agrícolas aparentemente inofensivos, que usados para a produção de sopas, como a farinha de batata entre outros itens similares também podem ser combustíveis e explosivos.

No processamento de alimentos são utilizadas muitas plantas onde são adicionadas grandes quantidades de especiarias, aromas e amidos que muitas vezes provocam enormes nuvens de poeiras. A mistura dessas substâncias com produtos relativamente úmidos (como frutas frescas ou carne moída) eliminam os riscos de explosão, mas, até que isso aconteça, a poeira pode causar grandes danos caso entre em contato com um motor super aquecido ou outra área que possa acionar a combustão.

Poeiras finas e secas podem emergir e se acumular em grandes quantidades, provocando a combustão

Produtos úmidos, supostamente seguros, podem explodir quando são muito moídos e expostos a baixas umidades.

A Nederman forneceu um Sistema FlexFilter EX a uma empresa sueca de tabaco, cujos produtos são fabricados com pó de tabaco úmido.

Geralmente o pó contém uma quantidade relativamente alta de umidade e inicialmente não foi considerado como sendo potencialmente explosivo.

Durante o processo de fabricação e embalagem do tabaco ocorre derramamento de produto e o pó de tabaco que rapidamente é derramado torna-se mais seco, pois perde cerca de 90% do seu teor de umidade em menos de meia hora.

A remoção do referido produto derramado era feita de hora em hora, através de um filtro de captação de pó por alto vácuo. Sistema este que trabalha a uma velocidade alta e faz com que as partículas do produto se tornem mais finas ao passar pelos condutores, resultando em elevadas quantidades de poeiras finas e extremamente explosivas que vão se acumulando nas tubulações e no recipiente de recolha.

Além disso, os filtros de mangas e borrachas antigamente usados para a captação do pó danificavam-se com muita frequência, provocando a sua substituição por no mínimo duas vezes no ano.

Quanto mais fina a poeira, maior o risco de combustão

À medida que as poeiras passam por tubulações, a eletricidade estática das partículas aumenta e com o acúmulo de poeiras no filtro e nas condutas pode seguramente ocorrer uma explosão.

Foi realizado um teste com o produto principal do tabaco, que foi moído para uma poeira muito fina e enviada para análise.

No laboratório de análises, essa poeira foi incendiada para medirem o seu valor em KST. Este valor indica a taxa máxima de aumento da pressão e permiti estimar o comportamento antecipado da poeira, nomeando a probabilidade e potência da explosão.

O valor medido foi de cerca de 70, o que é notavelmente mais alto do que o pó criado a partir de madeira e arroz. Farinha e açúcar, por exemplo, têm valores de KST de cerca de 150.

Instalação de um FlexFilter com painel de alívio de explosão e válvula de isolamento para minimizar o impacto

Após a avaliação do risco, concluiu-se que o pó da planta de tabaco gerado no sistema representava um risco no local de trabalho. Por isso, a empresa decidiu instalar um Sistema FlexFilter EX, para que a chama e o ar quente de uma explosão fosse conduzido para o exterior através de um painel de explosão, além de uma válvula de isolamento para minimizar os efeitos colaterais da explosão.

Caso ocorra uma explosão, o filtro deve ser substituído e uma investigação deve ser iniciada para entender o motivo, mas a produção poderá ser retomada em 24 horas.

O sistema de vácuo também recolhe o excesso de pó de tabaco e o filtra para um depósito fácil e seguro.

É necessário ter equipamentos capazes de lidar com estes tipos de explosão de forma a não provocar danos significativos aos operadores, equipamentos, máquinas e desencadear uma parada completa da produção por um longo tempo.

Alguns fatores importantes para evitar acúmulo de poeiras combustíveis

Não ignorar os riscos que ela representa é um fator importante. A conscientização sobre este assunto vem aumentando, embora ainda haja variação entre empresas, indústrias e regiões.

Cada vez mais as empresas incluem este fator como um risco elevado nas suas avaliações de segurança do local de trabalho, dos produtos que fabricam e em relação à quantidade de poeiras geradas no processo produtivo.

A implementação de medidas de limpeza industrial é primordial, pois proporciona um ambiente seguro e limpo para os trabalhadores, equipamentos e produtos.

A instalação de sistemas de extração com captação localizada na fonte de emissão com braços articulados, e outros tipos de processos de ventilação, faz com que o pó dificilmente se acumule ou se espalhe, evitando possíveis explosões, bem como a exposição dos operadores a vapores e partículas perigosas.

O ideal também é considerar os fatores apresentados neste artigo na fase de elaboração de um projeto para construção de uma nova fábrica ou linha de produção. Um sistema bem planejado é mais fácil de operar e resultará em menos danos, erros e manutenções.

Fale conosco, temos uma equipe de especialistas em poeiras combustíveis à sua disposição!